quarta-feira, 4 de novembro de 2009

intervenção











documentário sobre os efeitos desastrosos da exploração do petróleo no nosso planeta e na vida dos povos indígenas)



O Impacto do Crude ( Crude Impact) é um documentário actual, vencedor de vários prémios nas áreas do cinema documental e ambiental, que merece ser visto e discutido pelo maior número de pessoas. Trata-se de um relato impressionante dos efeitos desastrosos da exploração desenfreada dos combustíveis fósseis nos frágeis ecossistemas do nosso planeta.

http://essentialsharingdocs.blogspot.com/

http://ecogitar.blogspot.com/

consumo consciente e reciclegem salvam nosssas vidas


você sabia que:

Para obter:1000 kg de papel
É preciso o corte de 20 árvores
para obter:1000 kg de plástico
é preciso a extração de milhares de litros de petróleo
para obter:1000 kg de alumínio:
é preciso a extração de: extração de 5000 kg de minério
para obter:1000 kg de vidro:
é preciso a extração de 1300 kg de areia


Os materiais que descartamos no meio ambiente não se desfazem tão rápido assim. Conheça o tempo de decomposição de alguns desses materiais:

PAPEL : 3 MESES A VÁRIOS ANOS
NYLON: 30 ANOS
CASCA DE FRUTAS: 3 A 12 MESES
MADEIRA: 6 MESES (em média)
EMBALAGEM LONGA VIDA: + DE 100 ANOS
PLÁSTICOS , PNEUS: + DE 100 ANOS
LATAS DE ALUMÍNIO: + DE 1000 ANOS
VIDRO :+ DE 10000 ANOS

latas de alumínio

• Uma latinha de alumínio pesa apenas 14,5 gramas.
• 67 latinhas de alumínio correspondem a 1 kg.
• Cada 1.000 kg de alumínio reciclado significa 5 mil kg de minério bruto (bauxita) poupados.
• O Brasil possui uma das três maiores reservas de bauxita do mundo.
• Para reciclar o alumínio são gastos apenas 5% da energia utilizada na extração, ou seja, uma economia suficiente para manter iluminadas 48 residências.
• Todo o processo de reciclagem do alumínio no Brasil envolve mais de 2 mil • empresas.
• No Brasil são consumidas 51 latas de alumínio por habitante por ano, enquanto nos Estados Unidos esse número chega a 375 latas por habitante.
• Uma lata de alumínio demora mais de 100 anos para se decompor na natureza.

A reciclagem de latas de alumínio é dividida em dez etapas. O alumínio não se degrada durante o processo e poder ser usada para o mesmo fim, ao contrário das garrafas plásticas, que depois de recicladas não podem guardar alimentos.
O seu valor residual é alto, mais nobre do que o de outros materiais reutilizáveis, tornando-se uma fonte de renda para os seus coletores. Para se ter uma idéia desse valor, a sucata de latas de alumínio vale atualmente 33 vezes mais do que as de aço e 55 vezes mais que as garrafas de vidro. Desde a produção da latinha na fábrica até a sua volta aos centros de reciclagem, o tempo é de dois meses.

Acompanhe um gráfico ilustrado com o processo de reciclagem das latas de alumínio:
Passo-a-passo da reciclagem de latinhas

1. COMPRA
O consumidor compra as latinhas de alumínio no supermercado
2. CONSUMO
Depois de usada, a lata vazia é levada aos postos de coleta ou então vendida aos sucateiros, que ganham mais ou menos R$ 3,00 para cada grupo de 75 latinhas
3. COLETA
Nesses locais, as embalagens são prensadas com todas as suas partes (corpo, tampa e anel)
4. PRENSAGEM
Neste estágio, as latas são prensadas novamente. Desta vez, em grandes fardos, como são chamados os “pacotes” volumosos e pesados, fáceis de serem transportados
5. FUNDIÇÃO
As latinhas são derretidas em fornos especiais para latas de alumínio
6. LINGOTAMENTO
Aqui todo o material é transportado em lingotes fundidos sob a forma de tiras, apropriadas para uma refusão ou transformação
7. LAMINAÇÃO
Os lingotes passam por um processo de deformação plástica no qual o material passa entre rolos e se transforma em bobinas de alumínio
8. NOVAS LATAS
As bobinas são usadas para fazer novas latinhas
9. ENCHIMENTO
Na fábrica de bebidas, as latas passam por um processo de enchimento para ganhar aquele tradicional formato “oco” que conhecemos
10. CONSUMO
Depois as latas são distribuídas mais uma vez aos pontos de venda, fechando o ciclo de reaproveitamento do alumínio

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

sábado, 10 de outubro de 2009

alongue-se

É importante alongar antes e depois de qualquer atividade fisica.
O alongamento é fundamental para o bom funcionamento do corpo, voltados para o aumento da flexibilidade muscular, promovendo o estiramento máximo das fibras musculares. Dentre os principais objetivos destacamos a preparação do nossos músculos para as atividades, prevenção de lesões tendíneas e musculares, liberdade dos movimentos articulares, promoção de relaxamento, ativação da circulação sangüínea, a sua falta pode predispor e potencializar inúmeras disfunções e lesões ortopédicas, isto acontece porque o encurtamento muscular desestrutura nosso corpo e faz com que, principalmente nossas articulações, trabalhem sobrecarregadas, desgastando-se mais rápido que o normal e, muitas vezes diminuindo as condições de prática saudável.


respirar melhor

Aprender a respirar longa e profundamente


A trajetória do ar é da seguinte forma: ao inspirar, o ar penetra no corpo pelo conduto interior das narinas, seguindo pela faringe, laringe, traquéia e tubos bronquiais. Neste trajeto, o ar, através de um processo térmico orgânico, torna-se aquecido ao nível da temperatura do interior do corpo, esse processo de introdução do ar é feito pelo diafragma que pode ser definido como um músculo estriado de forma triangular e semi-pontiaguda, amplo e delgado, e que se prolonga através da parte frontal do tórax, separando dessa forma, cavidade torácica da abdominal. O processo da respiração envolve dois sistemas físicos o circulatório e o respiratório,

o ar é fundamental na oxigenação das células, ele é processa a pureza do sangue que volta venoso e por essa oxigenação volta a ser puro.

Em pé ou sentado.

Adote uma postura agradável, mas sempre com a coluna ereta, mas o corpo solto e flexível, a cabeça ereta na verticalidade da coluna.
inspirar profundamente pelas narinas e ao mesmo tempo pressionar o queixo com firmeza contra a garganta, reter a respiração de forma enérgica enquanto for possível e agradável e não causar incômodo ao praticante. Concentrar-se na chacra frontal, entre as sombrancelhas bem na raiz do nariz e expirar o ar de forma lenta e tranqüila mantendo a posição.

Fazer de 10 a 20 vezes 3 vezes por semana.


- EM PÉ ou SENTADO:

local apropriado, em silêncio com os olhos suavemente cerrados e os lábios naturalmente fechados ou semi-abertos .
Respire uma 3 vezes de maneira normal enchendo os pulmões e soltando o ar vagarosamente.
Use a mão direita, o dedo indicador deverá ficar acima da sobrancelha bem no meio da testa (não precisa tocar a testa, apenas forme essa concha, vai usar o polegar e o dedo mínimo para alternar numa narina e outra.
A respiração não tem fase de retenção e a expiração é sempre alternada entre uma narina e outra:

a)INSPIRAR

lenta e profundamente com as duas narinas.
b) EXPIRAR

da mesma forma só que pela narina esquerda, bloqueando a narina direita com o dedo polegar.
c)Voltar a INSPIRAR

lenta e profundamente com as duas narinas.
d) EXPIRAR

da mesma forma, mas desta vez pela narina DIREITA usando o dedo mínimo para bloquear a esquerda.
e)Repetir a, b, c, d. No mínimo 30 vezes.
f) Repousar por uns instantes e reiniciar mais um bloco de 30 vezes.


Esse exercício pode ser realizado a qualquer hora do dia e não tem contra-indicações. Seus resultados serão imediatos sempre benéficos e profundos.Procure sentir o coração, no pulso ou no peito, na garganta, nas mãos, vai notar que no começo é dificil ouvir seu próprio coração.
Assim que conseguir encontrar as batidas do coração:
Ache o seu ritmo de acordo com as batidas, ou seja procure na tabela abaixo com qualdesses processos se sente confortável:


02.3.1 - PROCESSO A:
- Inspire: 4 batidas
- Guarde o ar: 2 batidas
- Expire: 4 batidas.
- Vazio por 2 Batidas.


02.3.2 - PROCESSO B:
- Inspire: 6 batidas
- Guarde o ar: 3 batidas
- Expire: 6 batidas.
- Vazio por 3 Batidas. (Padrão)

02.3.3 - PROCESSO C:
Inspire: 8 batidas
- Guarde o ar: 4 batidas
- Expire: 8 batidas.
- Vazio por 4 Batidas.

02.3.4 - PROCESSO D:
Inspire: 9 batidas
- Guarde o ar: 5 batidas
- Expire: 9 batidas.
- Vazio por 5 Batidas.

Observação:
O padrão é o Ritmo 6-3-6-3, considerado o ideal, mas não sinta-se desconfortável, quem respira mal tem um padrão 2-1-2-1, pode melhorar com 4-2-4-2.

Alie com o tempo uma Técnica imaginativa:
Energize seus chakras, imaginando uma Esfera branca luminosa brilho intenso, entrando pela Coroa da cabeça quando inspira, ao inspirar imagina o meio da testa e ao inspirar a bola branca entrando, depois garganta, coração, umbigo e orgãos sexuais.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

video

BOICOTE O USO DE PELES

JA.....................

graças as maravilhosas transformações climáticas......
a primavera chegou em Caxias de forma digamos maldosa prejudicando assim a intervenção tão palnejada do dia mundial sem carros
por isso é preciso que não desanimemos diante aos obstáculos que são tão cotidianamente vividas
A BICICLETADA É O EXEMPLO MAIS EVIDENTE QUE NÃO IMPORTA O IMPESSILIO ESTAMOS POR AI PEDALANDO PELAS RUAS
POR ISSO MAIS UM CHAMADO PARA PARA OCUPARMOS AS RUAS COM NOSSAS BIKES
NO ULTIMO DOMINGO DO MÊS DE OUTUBRO
NA PRAÇA DANTE AS 15:00

bicicletada de outubro




quarta-feira, 16 de setembro de 2009

pedalando por cxs

Bicicletada cxs
A exatamente um ano todo último domingo do mês
Estamos pelas ruas de Caxias
Pedalando por ai
Pelo simples desejo de pedalar
Sem preocupar-se com competições ou padrões
Mas sim com o esforço próprio de cada um em romper com o comodismo
E ocupar as ruas
Pois cada um de nos é um carro a menos
E juntos somos muitos mais
"Sobre o caminho de concreto,
Passam homens e as mulheres
Enxertados nos veículos
Que apagam o sangue e a alma.
Passam no automóvel,
Esses homens loucos, essa mulheres loucas.
E se crêem, ai de mim, aptos
A viver apenas pelo petróleo.
Eles não falam, buzinam.
E não andam: rolam.
Visto que com duas pernas eu funciono,
Eles riem; me chamam de galinha.
São amarelos, ou verdes, ou negros.
Entre eles, nada de segregação:
Mexem-se entre as calçadas
Lado a lado e uníssono'


Quando digo automóvel, quero dizer automobilistas. O automóvel e o automobilista fazem parte de uma só coisa: o automóvel.
Não se tem um automóvel; se é um automóvel.
Não se pode nascer automóvel; torna-se automóvel de repente."
Réjean Ducharme

empresas grandiozasss

A maior empresa do mundo, em faturamento, é a Exxon Mobil, com 340 bilhões de dólares e lucro de 36 bilhões. A segunda maior é a Wal-Mart, com 316 bilhões. Depois, duas outras petrolíferas, Shell e BP, e Gm
As empresas mais ricas do mundo....
1º Exxon Mobil ( petrolíferaA empresa possui cerce de 38 refinarias em 21 paíse,)
2º Wal -Mart ( rede de supermercados Wal-Mart Supercenter, SAM'S CLUB, Todo Dia, Bompreço, Hiper Bompreço, Nacional,Mercadorama, Hipermercado Big, Maxxi Atacado.)
3 Shell Group ( petrolífera)
4 BP ( empresa petrolífera)
5 GM ( automotiva)
6 Chevron ( petrolífera)
7 Daimler Chrysler ( automotiva)
8 Toyota ( automotiva é Proprietária das marcas Lexus, Scion e Daihatsu. É a maior montadora de automóveis do mundo,)
9 Ford ( automotiva, é constituída pelas marcas Ford, Volvo Cars, Lincoln, Mercury,)
10 Connoco Philips ( petrolífera)
Veja as empresas que mais poluem as águas do Brasil:
1. PETROBRAS
2. SHELL/RHODIA
3. CSN
4. GERDAU
5. VOTORANTIM
6. BRASKEN
7. Fundição TUPY (estatizada pelo BNDES e Fundo Previ)
8. CARGILL
9. ARACRUZ CELULOSE
10. COMPANHIA VALE DO RIO DO

sábado, 12 de setembro de 2009

dia mundial sem carros


No dia 22 de setembro, em cidades do mundo todo, são realizadas atividades em defesa do meio ambiente e da qualidade de vida nas cidades, no que passou a ser conhecido como Dia Mundial Sem Carro. Na Europa, a semana toda é recheada de atividades, no que chamam de Semana Européia da Mobilidade (16 a 22 de setembro).
O objetivo principal do Dia Mundial Sem Carro é estimular uma reflexão sobre o uso excessivo do automóvel, além de propor às pessoas que dirigem todos os dias que revejam a dependência que criaram em relação ao carro ou moto. A idéia é que essas pessoas experimentem, pelo menos nesse dia, formas alternativas de mobilidade, descobrindo que é possível se locomover pela cidade sem usar o automóvel e que há vida além do para-brisa.
Mas qual o problema em andar de carro?
Andar de carro por si só não parece um grande problema. Para entender melhor o real cenário, é preciso afastar-se da visão individual e analisar todo o conjunto.
Ao longo do último século, nossas cidades foram adaptadas para atender prioritariamente ao carro, não às pessoas que nelas vivem. Investiu-se muito mais no uso individual do automóvel do que em soluções de transporte de massa. À medida que as cidades e o país cresciam, deu-se ênfase em possibilitar a venda massificada de automóveis (com incentivos contínuos às montadoras) e à criação de infraestrutura para que esses carros rodassem (enriquecendo empreiteiras e outras empresas).
Com isso, cada cidadão que resolvesse por si só seu problema individual de mobilidade, de forma que o carro se tornava cada vez mais sinônimo de “liberdade de ir e vir”. Na verdade, o carro não é sinônimo de liberdade de deslocamento: é a alternativa que restou. Para mover “massas” de pessoas, deveria haver mais opções de transporte “de massa”.
As ferrovias foram desmanteladas ao longo do século e as hidrovias não saíram do papel. As rodovias se espalharam por todo país, até no coração da floresta amazônica, levando o desmatamento e a poluição no porta-malas. Mesmo os investimentos em transporte coletivo sobre rodas foram sempre muito menores que os investimentos diretos ou indiretos no modelo de mobilidade individual e particular. As ruas, avenidas, pontes e túneis, supostamente criados para atender à demanda, foram agindo como estimuladores dessa demanda, criando um círculo difícil de quebrar: cada vez mais carros ocupando a estrutura criada e pedindo sempre mais, exponencialmente.
As cidades deixaram de ter caminhos por onde as pessoas e os rios passavam para ter caminhos para se “chegar rápido de carro”. Atravessar as ruas sem uma armadura de uma tonelada se tornou, cada vez mais, uma aventura perigosa. As cidades deixaram de ser das pessoas e passaram a ser dos carros.
O mau uso do automóvel
O carro é uma invenção maravilhosa. Com um veículo a motor, você pode carregar centenas (milhares?) de vezes o que conseguiria carregar com as mãos. Pode levar pessoas enfermas até um hospital, suprir deficiências de mobilidade e transpor distâncias enormes.
O problema começa a se mostrar quando você percebe que a quase totalidade dos motoristas nas cidades são pessoas sem nenhuma restrição de mobilidade, que estão carregando apenas uma blusa ou um caderno, não estão sendo levadas a hospital algum e estão fazendo um trajeto que muitas vezes não chega nem a 10 km.
Todos saindo com seus carros no mesmo horário causam o efeito mais visível da mobilidade baseada no automóvel: o congestionamento. Os demais efeitos são cada mais difíceis de perceber, alguns até impossíveis de mensurar com exatidão: mortes e sequelas de vítimas de acidentes, stress, isolamento e frustração, agressividade e violência, doenças cardiovasculares e respiratórias, menor tempo para convívio com a família, poluição do ar e das águas, consumo exagerado de recursos naturais, impermeabilização do solo e aumento da temperatura das cidades, diminuição do espaço para convívio entre as pessoas, mudanças na sociedade e degradação nas relações entre as pessoas, prestígio e autoestima atreladas ao automóvel e outras mais (saiba mais aqui).
Nossa! Então tá! Mas o que eu posso fazer?
O dia 22 de setembro será uma oportunidade para que as pessoas experimentem vivenciar a cidade de outra forma. Transporte público, bicicleta e mesmo a caminhada são alternativas saudáveis e cidadãs, que contribuem com o meio ambiente, com a sua saúde e até com a locomoção daqueles que realmente necessitam utilizar o carro, sobretudo em situações especiais de mobilidade (melhor idade, gestantes, transporte de crianças pequenas, portadores de necessidades especiais, etc.). Até a carona solidária, combinada com um colega de escritório que more perto da sua casa, já ajuda.
Se você utiliza o carro no dia a dia, faça um desafio a si mesmo no próximo 22 de setembro e descubra se você é capaz de passar pelo menos um único dia no ano sem seu carro. A cidade, o planeta agradece

independencia?


APOCALIPSE MOTORIZADO

A cada três minutos acontece um acidente envolvendo carros .Vinte mil pessoas são mortas, por ano, vítimas de acidentes de trânsito no Brasil, mas números não oficiais apontam quase o dobro. Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) mais de um milhão de pessoas estão envolvidas direta ou indiretamente nestes acidentes!As ruas, avenidas e viadutos avançam devastando bairros e expropriando o espaço público da comunidade pelo espaço privado do automóvel.
O petróleo polui e altera as condições climáticas das cidades cada vez mais congestionadas...Guerras são declaradas e milhões são massacrados pelo controle das fontes de combustíveis como podemos ver claramente hoje no Iraque.

Contudo, até então nenhuma reflexão contundente sobre o papel desumano dos automóveis havia obtido seu devido espaço no Brasil, nenhuma crítica radical contra essas máquinas moedoras de carne humana.Mais um acidente de trânsito acabou de acontecer
.Para baixa-lo basta acessar o link abaixo, que é do CMI-Brasil.http://brasil.indymedia.org/media/2008/04//417244.pdf

AMEM AUTOMOVEL

Da praça fez-se a rua. Da calçada, o estacionamento. Louvemos ao Deus Carro pela desgraça alcançada.O espaço público é nosso altar cotidiano de sacrifícios. Oferecemos quatro vidas por dia em colisões e atropelamentos. Outras oito são entregues através de doenças respiratórias, problemas no coração, câncer e outros tipos de mortes lentas.
Também oferecemos o sacrifício diário dos que seguem vivos: penitentes castigados com muitas horas de trânsito, baixa qualidade de vida, péssimo acesso à cidade e ao espaço público.
Castigamos os infiéis (ou inferiores) com a degradação brutal do transporte público, com as calçadas-minadas, esburacadas, inexistentes ou ocupadas por nossas máquinas sagradas. Castigamos os rebeldes privando-lhes de ciclovias, ciclofaixas, semáforos de pedestres, respeito e transporte público durante a noite.
Oferecemos nossas riquezas para tratar feridos e enterrar os mortos. Gastamos o dinheiro de todos para beneficiar alguns: recapeamos e asfaltamos ruas, construímos viadutos, pontes e avenidas.
O Deus Carro é guloso por espaço; estimula luxúria, vaidade, avareza e orgulho através dos estímulos de consumo instantaneamente renovados pela máquina da propaganda; gera preguiça e ira em quem dirige e transforma toda a cidade em um verdadeiro inferno para vender o único Céu possível: o Sagrado Coração de metal, plástico e vidro.
Tanto no Céu, quanto na Terra. Poluímos o ar e derretemos o planeta. Destruimos bairros e comunidades inteiras para acomodar o fluxo e o estacionamento de um número cada vez mais insano de veículos. A cidade espalhada, segregada e agressiva é o território fértil para a manutenção da nossa fé. Acreditamos no medo, evitamos a convivência, odiamos aquele que se coloca à nossa frente como obstáculo para a velocidade vendida no comercial de tevê.
O Deus Carro e sua parceira Especulação espalharam a cidade, criaram imensos vazios urbanos, condomínios fechados e shoppings centers, tudo com amplo estacionamento ou manobrista no local. A rua é de ninguém, espaço poluído e abandonado que serve apenas para circularmos com nossa fé sobre quatro rodas. Amém, automóvel!
Texto de autoria desconhecida que circulou pela lista da CONEEG-BRASIL (Confederaçao Nacional de Entidades Estudantis de Geografia do Brasil).
DIA MUNDIAL SEM CARROS
DIA 22 DE SEMBRO
Trata-se de um manifesto/reflexão sobre os gigantescos problemas causados pelo uso massivo de automóveis a mobilização é um exercício de reflexão sobre a dependência e o uso (muitas vezes) irracional dos automóveis em nossa sociedade. Idéia principal dia é fazer com que as pessoas pensem um pouco sobre o estilo de vida que levam, sobre a possibilidade de diminuírem o uso do carro Os malefícios causados pelo uso de automóveis são inúmeros e evidentes: poluição atmosférica, efeito estufa, poluição sonora, congestionamentos, doenças respiratórias, sedentarismo, irritabilidade, e perda tempo.
Por isso:
Dia 22 de setembro ás19:oo (TERÇA-FEIRA)
NA PRAÇA DANTEVamos pedalar para provocar mudanças.....

DIA MUNDIAL SEM CARROS